17 capítulos
Medium 9788536305271

Leg press

Lima, Cláudia Silveira Grupo A - Artmed PDF

124

leg press

Considerações

Qual a desvantagem e a vantagem desse exercício em relação à articulação do joelho?

Desvantagem. Esse exercício provoca um aumento na compressão da articulação do joelho

(Escamilla e cols., 2001) devido à incidência da força de reação provocada pelo equipamento. Essa força vai aumentando o seu componente compressivo sobre as articulações tibiofemorais medial e lateral à medida que o joelho é estendido. Por outro lado, à medida que o joelho é flexionado, a compressão aumenta na articulação patelofemoral (Nordin e Frankel,

1989).

Vantagem. A ação simultânea do quadríceps e dos isquiotibiais que ocorre nesse exercício minimiza o deslocamento tibial anterior provocado pela contração isolada do quadríceps, fato que o caracteriza como um exercício funcional (Escamilla e cols., 1998; Solomonow e

Krogsgaard, 2001).

Com isso, esse exercício é indicado para pessoas que apresentam alterações no ligamento cruzado anterior.

Cuidado com o posicionamento do joelho!

A execução desse exercício deve ser feita com o joelho alinhado com as articulações do quadril e do tornozelo, evitando uma sobrecarga assimétrica sobre eles.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536305271

Cadeira abdutora

Lima, Cláudia Silveira Grupo A - Artmed PDF
Medium 9788536305271

Extensores da coluna lombar

Lima, Cláudia Silveira Grupo A - Artmed PDF
Medium 9788536305271

Rotação externa

Lima, Cláudia Silveira Grupo A - Artmed PDF

membros superiores

101

Qual a importância desse tipo de exercício para a estabilidade do ombro?

A estrutura óssea da articulação do ombro predispõe a uma instabilidade articular, e a musculatura acaba tendo um papel importante na sua estabilização. Os principais músculos responsáveis por essa estabilização são os pertencentes ao manguito rotador, composto pelo supraespinal, pelo subescapular, pelo infra-espinal e pelo redondo menor. Esses músculos são os principais responsáveis pelos movimentos de rotação do ombro, sendo que esses movimentos são pouco executados em exercícios específicos, tanto em função da inexistência de equipamentos como também pela falta de clareza em relação à função de estabilização desses músculos, o que torna a articulação do ombro suscetível a lesões.

Esse exercício é importante para indivíduos que apresentam ombros protraídos com rotação interna associada e deve ser prescrito na rotina de treinamento em virtude de os seus antagonistas, os rotadores internos, serem excessivamente trabalhados de forma indireta em vários outros exercícios, o que não ocorre com os rotadores externos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536305271

Flexão do joelho

Lima, Cláudia Silveira Grupo A - Artmed PDF

membros inferiores

117

Em decúbito ventral

BÍCEPS FEMORAL

3,3 mV

SEMITENDÍNEO

1,1 mV

SEMIMEMBRANÁCEO

1,8 mV

GASTROCNÊMIO – CABEÇA LATERAL

0,7 mV

Considerações

A posição da cintura pélvica interfere na ativação dos isquiotibiais?

Os músculos flexores do joelho se originam na tuberosidade isquiática. Dessa forma, quando ocorre movimento de báscula anterior da cintura pélvica, há um deslocamento posterior da origem muscular, melhorando o aspecto fisiológico (maior alongamento e maior contribuição do tecido conjuntivo) e o mecânico (aumento do braço de potência dos músculos) dos isquiotibiais. Portanto, com o movimento de báscula anterior da cintura pélvica, os isquiotibiais realizam menor esforço para movimentar uma mesma carga.

No entanto, esse movimento provoca um aumento da lordose fisiológica e, conseqüentemente, provoca um aumento da atividade dos extensores da coluna, gerando uma sobrecarga desnecessária na coluna lombar.

Flexão do joelho – cintura pélvica normal

BÍCEPS FEMORAL

3 mV

SEMITENDÍNEO

2,8 mV

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos