161 capítulos
Medium 9788530956325

PARTE I | Capítulo IV - O Peso da Argumentação Empírica na Jurisdição Constitucional

Alexy, Robert Grupo Gen - Editora Forense PDF

CAPÍTULO IV

O PESO DA ARGUMENTAÇÃO

EMPÍRICA NA JURISDIÇÃO

CONSTITUCIONAL

Margarida Maria Lacombe Camargo

4.1. Introdução

Esse artigo se destina a buscar, na Teoria de

Robert Alexy, o tratamento conferido às premissas empíricas incorporadas ao processo de tomada de decisão dos tribunais, particularmente nas Cortes

Constitucionais. Essa questão se justifica na medida em que a epistemologia científica opera no nível da veracidade dos argumentos que apresenta, enquanto para o processo deliberativo o que vale

é o peso conferido pelo julgador a esses mesmos argumentos. O que na doutrina processual é conhecido como “valoração das provas”. É importante verificar, assim, como aquilo que “é”, ou seja, fatos suficientemente comprovados mostram-se determinantes para aquilo que “deve ser”. Como pano de fundo temos a prática recente, e cada vez mais constante, da busca de apoio dos tribunais em argumentos científicos, para decidir com maior segu-

Ver todos os capítulos
Medium 9788502081413

6. Resolução de divergências pela Academia

Mello, Jônatas Junqueira de Editora Saraiva PDF

Boa ideia: a nova ortografia para advogados, estudantes e curiosos

pia, bio-história, circum-hospitalar, co-herdar

(mas coabitar), contra-habitual, entre-hostil, geo-história, extra-humano, hidro-hemopericárdio, hiper-hedonista, infra-hepático, interhemisférico, intra-histórico, macro-história, micro-habitat, neo-hebraico, pan-helenismo, pós-homérico, pré-história, pró-homem, protohistórico, pseudo-hipertrofia, semi-hospitalar,

23

“Emprega-se o hífen para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam, formando, não propriamente vocábulos, mas encadeamentos vocabulares (tipo: a divisa

Liberdade-Igualdade-Fraternidade, a ponte Rio-Niterói, o percurso Lisboa-Coimbra-Porto21, a ligação Angola-Moçambique) (...)”.

sobre-horrendo, sub-humano, super-homem, supra-histórico, ultra-hiperbólico.

Talvez porque a música popular brasileira seja a arte que mais nos inspira no ato de escre-

5. Pontuação: o sagrado uso do travessão de cada dia

Olhem só. Impediram o travessão de mostrar o caminho das pedras, de nos ajudar a encontrar o próprio destino, quem sabe nossa felicidade!

Ver todos os capítulos
Medium 9788522475063

10 - Comunicação e terceiro setor

DUARTE, Jorge (org.) Atlas PDF

10

Comunicação e terceiro setor

Cicilia M. Krohling Peruzzo

Este capítulo trata da comunicação no chamado terceiro setor e tem por obje-

tivo apontar breves fundamentos teóricos que norteiam os debates de modo a provocar reflexões nos agentes promotores ou facilitadores dos processos comunicativos. Não se trata de um “manual”1 de atuação, mas de reflexões acerca dos princípios de uma inserção responsável, bem como de implicações do aparente interesse em apenas “fazer o bem”. Situam-se, com base em pesquisa bibliográfica e abordagem histórico-dialética, os principais conceitos de terceiro setor sem a pretensão de esgotar o assunto, até porque a finalidade é discutir a comunicação nesse contexto e não o terceiro setor, propriamente dito.

Apesar das controvérsias devido à falta de precisão na classificação dos atores que compõem o terceiro setor e das diferenças de perspectivas de cada grupo de atores, este já é reconhecido e legitimado como importante esfera de atuação civil, embora com parcerias do poder público e do setor privado, e tem crescido no Brasil. Segundo estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Ver todos os capítulos
Medium 9788521624578

Capítulo 8 - A Linguagem e a Mente

LYONS, John LTC PDF

Capítulo 8

A Linguagem e a Mente

8.1 A gramática universal e sua relevância

Desde os primeiros tempos tem havido uma ligação estreita entre filosofia da linguagem e ramos tradicionalmente reconhecidos da filosofia tais como a lógica (o estudo do raciocínio) e a epistemologia (a teoria do conhecimento). No que diz respeito à lógica, o próprio nome da disciplina que se tornou agora altamente técnica e mais ou menos independente proclama tal ligação: a palavra grega ‘logos’ está relacionada ao verbo que significa “falar” ou “dizer” e pode ser traduzida, segundo o contexto, tanto como “raciocínio” quanto como “discurso”. Não surpreende que tal ligação histórica devesse existir. O bom senso e a introspecção apoiam o ponto de vista segundo o qual o pensamento é um tipo de fala interior; e várias versões mais sofisticadas desse ponto de vista foram apresentadas pelos filósofos através dos séculos. De fato, durante a maior parte dos 2000 anos, ou pouco mais ou menos, em que a gramática tradicional ocidental influenciou vários centros de erudição, não se traçou nenhuma distinção nítida, em nível teórico, entre gramática e lógica. Em determinados períodos – de maneira mais notável no século XIII e novamente no século XVIII – desenvolveramse sistemas do que passou a se chamar gramática universal, nos quais a ligação entre lógica e gramática foi explicitada e recebeu algum tipo de justificação filosófica.

Ver todos os capítulos
Medium 9788502085206

CÓDIGOS VISUAIS NA PROVA ORAL

Campilongo, Celso Fernandes Editora Saraiva PDF

Preparatorio Oral_2ª ed.:Preparatorio Opral_2ª ed. 27/12/10 10:50 Page 96

C Ó D I G O S V I S U A I S N A P R O VA O R A L

1) Como o candidato deve se vestir?

Esta é uma pergunta importante que muitas vezes é negligenciada, comprometendo a imagem e a percepção do candidato perante a banca e os demais candidatos.

A roupa, os cabelos e os acessórios farão parte da imagem que os examinadores terão de você e devem ser compatíveis com a formalidade do exame oral. Nada deve chamar a atenção. O ideal é que as pessoas nem se lembrem exatamente da roupa ou dos óculos que você estava usando na prova. O que deve ficar marcado para a banca são sua competência, segurança e simpatia. Logo, você deve escolher roupa e acessórios que transmitam esta percepção.

A forma como o candidato se apresenta fornece aos interlocutores informações sobre ele e sua preocupação e respeito com aquela situação.

Da mesma maneira que você se preparou estudando o conteúdo e treinou postura e estilo na elaboração das respostas, a escolha da roupa, cabelo e acessórios faz diferença e complementa o restante.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos