12130 capítulos
Medium 9788572888950

Capítulo 9 - Obtenção dos Modelos Preliminares e Moldeiras Individuais

TURANO, José Ceratti; TURANO, Luiz Martins; TURANO, Marcello Villas-Bôas Santos PDF

Capítulo

9

Obtenção dos Modelos

Preliminares e Moldeiras

Individuais

“Uma corrente não é mais forte que o seu elo mais fraco.” Schlosser1

Introdução

De nada serviriam as melhores moldagens, se os modelos para a construção das próteses dentárias não fossem feitos cuidadosamente. O esforço e a habilidade do profissional seriam inúteis obtendo-se somente resultados medíocres.

Os moldes devem ser vazados cuidadosamente, empregando-se gesso da melhor qualidade e sempre gesso-pedra.

Não há fase, nos trabalhos clínicos ou de laboratório, que possa ser menosprezada ou considerada de menor importância, se o que se pretende é a realização de um trabalho protético que cumpra todas as exigências.

Gesso-pedra: Tanto para o modelo preliminar como para o modelo corretivo, deve-se usar gesso-pedra. Isso é válido para os modelos dentados e edentados.

O gesso comum é um gesso de preenchimento ou de retenção de modelos em articulador e nunca deveria ser usado para modelos. Existem diversas marcas de gesso-pedra no mercado e os fabricantes fazem segredo de sua composição.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527727129

9 | Expansores Palatais de Níquel-titânio

GUIMARÃES Jr., Carlos Henrique Santos PDF

9

Expansores Palatais de Níquel-titânio

Carlos Henrique Guimarães Júnior e Wilana da Silva Moura

Introdução

O conceito de eficiência em tratamento ortodôntico diz respeito à obtenção de um resultado satisfatório no menor tempo possível. Buscando eficiência e sucesso, é fundamental que o ortodontista conheça as más-oclusões para que possa realizar um diagnóstico correto e elaborar um plano de tratamento adequado.1

Na sequência do plano de tratamento, as discrepâncias de ordens transversais devem ser corrigidas em primeiro lugar. Entre essas deformidades, as mais comuns são as mordidas cruzadas posteriores (MCP) com atresia maxilar, cujo tratamento envolve a expansão dos arcos maxilares.2

Em 1860, Angle3, buscando uma terapia para a correção dessas más-oclusões, introduziu o procedimento de expansão rápida da maxila (ERM) na Ortodontia. Entretanto, apesar de seu pioneirismo, a ERM só passou a ser popular a partir de 1961, após a publicação dos estudos realizados por Hass. Daí em diante, seu emprego nos planos de tratamentos ortodôntico-ortopédicos passou a compor o cabedal diário de atividades nas clínicas ortodônticas e outras modalidades de expansão foram sugeridas.4,5

Ver todos os capítulos
Medium 9788527717809

50 Doenças Anorretais

DANI, Renato; PASSOS, Maria do Carmo Friche Guanabara Koogan PDF

50

Doenças Anorretais

Flávio Antonio Quilici e Lisandra Carolina Quilici

᭿

INTRODUÇÃO

As doenças anorretais estão presentes em toda a história da humanidade, aparecendo seus primeiros relatos na Babilônia e no antigo Egito, há mais de 3.000 a.C.

Os hábitos de vida no mundo moderno, porém, parecem ter contribuído para que elas adquirissem uma importância sempre crescente, em especial nas últimas décadas.

Não há dados epidemiológicos confiáveis sobre sua real incidência no Brasil, mas calcula-se que, aproximadamente, 30% da população brasileira, em algum momento da vida, deverá apresentar qualquer uma delas, utilizando os mais diferentes tratamentos.

Outro fato importante é que a maioria desses tratamentos não atuará diretamente nas causas destas enfermidades, não as eliminará e proporcionará, apenas, um breve alívio dos sintomas.

᭿

Anamnese

A anamnese detalhada é fundamental para o diagnóstico das afecções anorretais. Após as questões gerais habituais, a anamnese deverá ser pormenorizada para as características próprias das doenças proctológicas.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527724845

20 Anestesia para Cirurgia Abdominal

LEVINE, Wilton C. (ed.) Guanabara Koogan PDF

20

Anestesia para Cirurgia Abdominal

Emily A. Singer e John J. A. Marota

I. CONSIDERAÇÕES PRÉ-ANESTÉSICAS

Os pacientes candidatos a cirurgia abdominal devem ser submetidos a anam­ne­se e exame físico completos, conforme a descrição no Capítulo 1. Também é preciso analisar os seguintes pontos:

A. Avaliação Pré-operatória do Estado de Hidratação. A afecção cirúrgica pode perturbar gravemente a homeostase de volume, produzindo hipovolemia e anemia. As principais causas de déficit de líquidos são aporte inadequado, sequestro de água e eletrólitos nas estruturas abdominais e perda de líquidos.

1. Mecanismos de perda de líquido a. A ingestão pode ter sido diminuí­da ou interrompida por perío­dos va­riá­veis antes da in-

tervenção. O Quadro 1.1, no Capítulo 1, apresenta a revisão das diretrizes de jejum.

A obstrução gastrintestinal impede a ingestão adequada. A anorexia em doentes crônicos pode reduzir a ingestão por um longo perío­do. b. O vômito ou a drenagem gástrica podem ocasionar perdas significativas de líquido, sobretudo em pacientes com obstrução intestinal. É preciso avaliar a quantidade, a qualidade (presença de sangue), a duração e a frequência dos vômitos. c. Pode haver sequestro de líquido para o lúmen intestinal, no íleo adinâmico, ou para o interstício, na peritonite. d. A hemorragia gastrintestinal pode ser causada por úlceras, neo­pla­sias, varizes esofágicas, divertículos, angiodisplasia e hemorroidas. Todos podem provocar anemia normovolêmica ou hipovolêmica; a hemoconcentração acarreta falsa elevação do hematócrito. e. A diarreia decorrente de doen­ça intestinal, infecção ou preparo intestinal com catárticos causa acen­tuada perda de líquido extracelular. f. A febre aumenta as perdas insensíveis de líquido.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536327549

13. A infância: introdução

De Marco, Mario Alfredo Grupo A - Artmed PDF

13

A infância: introdução

CRISTIANE CURI ABUD

VERA BLONDINA ZIMMERMANN

ANA CECILIA LUCCHESE

A PRIMEIRA INFÂNCIA: OS TRÊS PRIMEIROS ANOS

O bebê na família: primeiras experiências sociais

A mãe espera, durante a gravidez, segundo Manfro (2001), um bebê gordinho, limpo, seco e cheio de vitalidade. Por isso, precisa gradativamente adaptar-se ao bebê real que se apresenta após o parto. A mãe e o pai que puderem entregar-se ao seu filho, compreendendo e atendendo suas necessidades físicas e afetivas, ajudam o bebê a superar as dificuldades inerentes ao desenvolvimento.

Nessas significações iniciais que são projetadas no filho, tarefa necessária para que ele inicie um processo de subjetivação, encontramos restos inconscientes – desejos e fantasias, expectativas e sonhos – dos pais, que organizam uma forma inicial de essa criança perceber a si mesmo e o mundo a seu redor. Por exemplo, o pai pode não ter feito uma universidade de medicina, porque sua família de origem não teve condição financeira para tanto, e projetar na filha ou no filho o desejo de que realizem seu sonho de ser médico.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos