2913 capítulos
Medium 9788582604533

Capítulo 6 - Análise Dimensional e Semelhança

Merle C. Potter; David C. Wiggert Grupo A PDF

Capítulo 6

Análise Dimensional e Semelhança

6.1 INTRODUÇÃO

Muitos problemas relevantes na mecânica dos fluidos não podem ser resolvidos usando as equações integrais e/ou diferenciais. Os movimentos do vento em torno de um estádio de futebol, o escoamento da água por uma grande hidroturbina, o fluxo de ar em torno do defletor de um caminhão, o movimento das ondas ao redor de um píer ou navio e o fluxo do ar em torno de uma aeronave são exemplos de problemas estudados em laboratório com o uso de modelos. Contudo, um estudo de laboratório usando modelos é bastante caro, então, para minimizar o custo, são usados parâmetros adimensionais. Na verdade, esses parâmetros também são utilizados em estudos numéricos pelo mesmo motivo.

Os parâmetros adimensionais são obtidos usando um método chamado de análise dimensional, a ser apresentado na Seção 6.2. Ele se baseia na ideia de homogeneidade dimensional: todos os termos em uma equação devem ter as mesmas dimensões. Simplesmente usando essa ideia, podemos minimizar o número de parâmetros necessários em uma análise experimental ou analítica, como será mostrado. Qualquer equação pode ser expressa em termos de parâmetros adimensionais pela simples divisão de cada termo por um dos outros termos. Considere, por exemplo, a equação de Bernoulli

Ver todos os capítulos
Medium 9788521634812

Capítulo 12 - Introdução ao Escoamento Compressível

FOX, Robert W.; MCDONALD, Alan T.; PRITCHARD, Philip J.; MICHTELL, John W. Grupo Gen PDF

capítulo 

12

Introdução ao Escoamento Compressível

12.1 Revisão de Termodinâmica

12.2 Propagação de Ondas de Som

12.3 Estado de Referência: Propriedades de

Estagnação Isentrópica Local

12.4 Condições Críticas

12.5 Equações Básicas para Escoamento Compressível

Unidimensional

12.8 Escoamento Supersônico em Canais, com Choque

12.8 Escoamento Supersônico em Canais, com Choque

(continuação, no GEN-IO)

12.9 Escoamento em Duto de Área Constante, com

Atrito (no GEN-IO)

12.10 Escoamento sem Atrito em um Duto de Área

Constante, com Transferência de Calor

(no GEN-IO)

12.6 Escoamento Isentrópico de um Gás Ideal:

12.11 Choques Oblíquos e Ondas de Expansão

12.7 Choques Normais

12.12 Resumo e Equações Úteis

Variação de Área

(no GEN-IO)

Estudo de Caso

O super-homem é mais rápido do que uma bala. Então, o quão rápido é isso? Verifica-se que a maior velocidade de uma bala é em torno de 1500 m/s, ou em torno do número de Mach 4,5 ao nível do mar. Os seres humanos podem acompanhar o super-homem?

Ver todos os capítulos
Medium 9788580551884

Capítulo 5 - Lipídeos

Gordon M. Wardlaw; Anne M. Smith Grupo A PDF

CAPÍTULO 5

Lipídeos

Objetivos do aprendizado

1. Citar quatro classes de lipídeos

(gorduras) e o papel de cada uma na saúde nutricional.

2. Distinguir entre ácidos graxos e triglicerídeos.

3. Diferenciar ácidos graxos saturados, monoinsaturados e poli-insaturados em termos de estrutura e fontes alimentares.

4. Explicar como os lipídeos são digeridos e absorvidos.

5. Citar as classes de lipoproteínas e classificá-las segundo suas funções.

6. Citar as funções dos lipídeos, inclusive dos dois ácidos graxos essenciais.

7. Discutir as implicações de várias gorduras, inclusive os ácidos graxos ômega-3 nas doenças cardiovasculares.

8. Caracterizar os sintomas das doenças cardiovasculares e destacar alguns fatores de risco conhecidos.

Conteúdo do capítulo

5.5 Transporte dos lipídeos na corrente sanguínea

5.10 Recomendações sobre consumo de gorduras

5.6 Funções essenciais dos ácidos graxos

Nutrição e Saúde: lipídeos e doenças cardiovasculares

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632696

9 - Capacidade de Carga dos Solos

BODÓ, Béla; JONES, Colin Grupo Gen PDF

Capítulo 9

Capacidade de Carga dos Solos

Quando uma edificação é construída sobre camadas de solos, sua estrutura pode sofrer grandes danos de dois modos:

1. Em solos argilosos, o excesso de poropressão (Du), induzido pelo excesso de tensão total (Ds), pode ser tão elevado que o adensamento resultante do solo pode causar um recalque excessivo na estrutura. Caso várias partes da edificação recalquem de forma desigual, o recalque diferencial pode danificar sua estrutura.

2. Em todos os tipos de solos, tensões na fundação induzem a tensões cisalhantes. Caso a capacidade resistente ao cisalhamento do solo, frequentemente chamada por resistência ao cisalhamento do solo, seja insuficiente para resistir às tensões induzidas, então o solo rompe ao escoamento sob a sapata.

   O objetivo deste capítulo é apresentar métodos para a determinação da capacidade de carga dos solos.

9.1 Terminologia

Sapata:

Fundação:

A subestrutura de uma edificação que transfere carga ao solo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521626398

10 METALURGIA DO PÓ

GROOVER, Mikell P. Grupo Gen PDF

Parte III  Processos Particulados de Metais e Cerâmicas

10

Metalurgia do Pó

Sumário

10.1  Produção dos Pós Metálicos

10.1.1 Atomização

10.1.2  Outros Métodos de Produção de Pós

10.2  Prensagem e Sinterização

Convencionais

10.2.1  Homogeneização e Mistura dos

Pós

10.2.2 Compactação

10.2.3 Sinterização

10.2.4  Operações Secundárias

10.3 Técnicas Alternativas de

Prensagem e Sinterização

10.3.1  Prensagem Isostática

10.3.2  Moldagem de Pós por Injeção

10.3.3  Laminação dos Pós, Extrusão e

Forjamento

10.3.4  Prensagem e Sinterização

Combinadas

10.3.5  Sinterização de Fase Líquida

10.4  Materiais e Produtos para a MP

10.5  Considerações de Projeto na

Metalurgia do Pó

Apêndice 10  Caracterização dos Pós

A10.1  Aspectos Geométricos

A10.2  Outras Características

A Parte III deste livro se preocupa com o processamento de metais e cerâmicas na forma de pós sólidos em partículas muito pequenas. No caso das cerâmicas tradicionais, os pós são produzidos por britagem e moagem de materiais comumente encontrados na natureza, tais como minerais de silicatos (argilas) e de quartzo. No caso dos metais e dos novos materiais cerâmicos (aqueles à base, principalmente, de óxidos e carbonetos), os pós são produzidos por meio de vários processos industriais. Abordamos os processos de fabricação dos pós, bem como os métodos utilizados para moldar os produtos à base de pós em dois capítulos: o Capítulo 10 sobre a metalurgia do pó, e o Capítulo 11 sobre o processamento de particulados cerâmicos e cermetos.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos