1611 capítulos
Medium 9788521615439

6. Processadores

MONTEIRO, Mario A. Grupo Gen PDF

6

Processadores

6.1 INTRODUÇÃO

No Cap. 2 apresentamos uma visão global da estrutura sistêmica de um computador e uma breve descrição de cada um de seus principais componentes, incluindo os barramentos que interconectam os referidos componentes. A partir do Cap. 4 iniciamos a descrição mais detalhada de cada componente, a memória em primeiro lugar, mais especificamente a memória principal (Cap. 4) e a memória cache (Cap. 5), ambas interligadas direta e logicamente à UCP (ao processador) na execução de um programa.

Neste capítulo, analisaremos um outro componente, o processador ou Unidade Central de Processamento –

UCP, que desempenha um papel crucial no funcionamento do sistema de computação. O processador é responsável pela atividade-fim do sistema, isto é, computar, calcular, processar. Como já mencionamos em capítulos anteriores, os processadores atuais são fabricados de modo que, em um único invólucro (pastilha – chip) são inseridos todos os elementos necessários à realização de suas funções. E cada vez mais a tecnologia tem avançado nessa área, de modo a se fabricar processadores mais complexos e poderosos, como o Pentium

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629399

Parte Três | Capítulo 8 - Memória Principal

SILBERSCHATZ, Abraham; GALVIN, Peter Baer; GAGNE, Greg Grupo Gen PDF

8

CAPÍTULO

Memória Principal

No Capítulo 6, mostramos como a CPU pode ser compartilhada por um conjunto de processos. Como resultado do scheduling da CPU, podemos melhorar tanto a utilização da CPU quanto a velocidade de resposta do computador para seus usuários. Para promover essa melhoria no desempenho, no entanto, devemos manter vários processos na memória; isto é, devemos compartilhar a memória.

Neste capítulo, discutimos várias maneiras de gerenciar a memória. Os algoritmos de gerenciamento da memória variam de uma abordagem primitiva de máquina crua a estratégias de paginação e segmentação. Cada abordagem tem suas próprias vantagens e desvantagens. A seleção de um método de gerenciamento da memória para um sistema específico depende de muitos fatores, principalmente do projeto de hardware do sistema. Como veremos, muitos algoritmos requerem suporte de hardware, o que leva muitos sistemas a terem uma forte integração entre o hardware e o gerenciamento de memória do sistema operacional.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629399

Parte Dois | Capítulo 4 - Threads

SILBERSCHATZ, Abraham; GALVIN, Peter Baer; GAGNE, Greg Grupo Gen PDF

4

CAPÍTULO

Threads

O modelo de processo introduzido no Capítulo 3 supõe que um processo é um programa em execução com um único thread de controle. Praticamente todos os sistemas operacionais modernos, no entanto, fornecem recursos que habilitam um processo a conter múltiplos threads de controle. Neste capítulo, introduzimos diversos conceitos associados aos sistemas de computação multithreaded, incluindo uma discussão sobre as APIs das bibliotecas de threads Pthreads, Windows e Java. Examinamos muitas questões relacionadas com a programação com múltiplos threads e seu efeito sobre o projeto de sistemas operacionais. Para concluir, exploramos como os sistemas operacionais

Windows e Linux suportam threads no nível do kernel.

OBJETIVOS DO CAPÍTULO

Introduzir a noção de thread — uma unidade básica de utilização da CPU que forma a base dos sistemas de computação multithreaded.

Discutir as APIs das bibliotecas de threads Pthreads,

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632597

Apêndices

GERSTING, Judith L. Grupo Gen PDF

Apêndice

A

Regras de Dedução para a

Lógica Proposicional e para a

Lógica de Predicados

Regras de Equivalência

Expressão

Equivalente a

Nome/Abreviatura para a Regra

P

P

Q

Q

P

P

Comutatividade — com

P

P

(Q

(Q

Q

Q

R

R

Associatividade — ass

(P

(P

Q)

Q)

R)

R)

(P

(P

Q)9

Q)9

P9

P9

Q9

Q9

Leis de De Morgan — De Morgan

(P → Q)

P9

Q

Condicional — cond

P

(P9)9

Dupla negação — dn

[(∃x)A(x)]9

[(∀x)A(x)]9

Negação — neg

De

Podemos Deduzir

Nome/Abreviatura para a Regra

P, P → Q

Q

Modus ponens — mp

P → Q, Q9

P9

Modus tollens — mt

P, Q

P

REGRAS DE INFERÊNCIA

P

Q

Conjunção — conj

Q

Adição — ad

P, Q

Q

Ver todos os capítulos
Medium 9788521617723

2 - Organização e TI

MOLINARO, Carneiro Ramos Grupo Gen PDF

Organização e TI

2

Introdução

Quando a TI surgiu acreditou-se que ela alavancaria de forma imediata os negócios das organizações, porém, após alguns anos de sua implementação, passou-se a questionar o seu real benefício. Tais questionamentos sobre a TI podem ser expressos pelas seguintes perguntas (ITPI, 2005):

§ Quais são as características qualitativas e quantitativas de organizações com alto desempenho em TI? O que torna as organizações de alto desempenho de TI tão diferentes das organizações típicas de TI?

 Qual a quantidade adequada de recursos a serem gastos em TI para atender a certas funções de negócios? Qual o retorno financeiro gerado pelas diversas funções de negócios existentes nas organizações? Como mediremos a forma com que este retorno financeiro afeta os diferentes tipos de negócio que são suportados pela TI?

§ Qual o retorno financeiro obtido pelo uso das melhores práticas em TI, tais como ter um catálogo de serviços de TI ou um processo efetivo de gerenciamento de mudanças?

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos