2342 capítulos
Medium 9788536303338

3. Qualidade e Produtividade no Sistema Educacional

Artmed Pitágoras Grupo A - Artmed PDF

Qualidade e Produtividade no Sistema Educacional

3

Lúcio de Andrade Fonseca

INTRODUÇÃO

Em que medida escola e sociedade precisam estar afinadas?

A função do sistema educacional é fornecer à sociedade cidadãos educados e competentes para cuidarem de si mesmos e contribuírem para a sobrevivência e melhoria da sociedade. Assim, o sistema educacional anda – ou deveria andar – sempre afinado com as características e as exigências correntes da sociedade que o abriga.

Na sociedade agrária, a terra era o grande gerador de riqueza. Para explorá-la, não era imprescindível ter uma formação acadêmica. A missão de educar ficava a cargo praticamente da família, que tinha obrigação de ensinar ao jovem apenas as habilidades necessárias para lidar com a terra.

Na sociedade industrial, em que vivemos até bem recentemente, o dinheiro e o trabalho passam a ser os geradores de riqueza. Um diploma e, se possível, um sobrenome de peso abrem todas as portas. Como as habilidades requeridas dos trabalhadores eram de natureza extremamente repetitiva (por anos a fio iriam exercer a mesma função), era natural bombardear o estudante com uma profusão de informações e cobrar dele, nas provas, a reprodução ipsis literis dessas informações. A habilidade de decorar – para posteriormente saber de cor as etapas do trabalho – era mais necessária que a de aprender. (Como ninguém é de ferro, tome cola, pois “quem não cola não sai da escola”.)

Ver todos os capítulos
Medium 9788536306643

16. Rudolf Spielmann (1883-1942)

Seirawan, Yasser Grupo A - Artmed PDF

16

Rudolf Spielmann

(1883-1942)

R

udolf Spielmann era um homem baixo, educado e gentil. Assim como Adolf

Anderssen, sua personalidade tinha pouco a ver com seu estilo no xadrez, que era despreocupadamente agressivo. Mas, ao contrário de Anderssen, ele não jogou na era romântica, e sim num período em que a técnica defensiva já havia adquirido maior importância. Conceitos posicionais, e não idéias exclusivamente combinatórias, eram a norma entre os mestres de seu tempo. Atacantes enlouquecidos eram vistos como relíquias de um passado mais primitivo.

Amante das aberturas com gambito, Spielmann jogou muitas partidas intrépidas, mas nunca chegou a sentir a plena concretização de todo o seu potencial.

No final da década de 1920, o enxadrista realizou um estudo minucioso de finais e conceitos posicionais. A mudança de estilo resultante projetou-o ao grupo dos dez melhores jogadores do mundo. Reuben Fine escreveu certa vez que a maior preocupação de Spielmann na vida, com exceção do xadrez, era acumular dinheiro suficiente para comprar quantidades ilimitadas de cerveja.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536322100

27 Pesquisa em Biologia Molecular

Diniz, Leandro Fernandes Malloy Grupo A - Artmed PDF

27

PESQUISA

EM BIOLOGIA

MOLECULAR

Fernando Silva Neves

Felipe Filardi da Rocha

Humberto Correa

A

Neuropsicologia é um ramo da ciência derivada da psicologia e da neurociência que estuda as relações entre o funcionamento cerebral e o comportamento humano em condições normais e/ ou patológicas. Na clínica geral, a neuropsicologia apresenta como principais objetivos a avaliação das diversas funções cognitivas, identificando, se for o caso, disfunções, possibilitando a estruturação de um plano terapêutico para a tentativa de atenuação e, se possível, a reabilitação de disfunções adquiridas ou já preexistentes (Fuentes, Malloy-Diniz, Camargo e Cosenza, 2008).

Na investigação científica, sua aplicação apresenta características distintas. Com o avanço das novas tecnologias e de re-

cursos que possibilitam a investigação do cérebro em funcionamento, como a ressonância magnética funcional (RMf), a tomografia por emissão de fóton único e a tomografia por emissão de pósitrons, desenvolveram-se instrumentos de investigação neuropsicológica de aplicação à pesquisa experimental, com medidas quantitativas de desempenho, possibilitando uma melhor compreensão das relações cérebro-comportamento. De acordo com o desenho de cada estudo, são utilizados testes padronizados ou tarefas (paradigmas) desenvolvidas para testar uma hipótese específica ou, ainda, observar de que modo o cérebro responde a essa tarefa, como é o caso da RMf

Ver todos os capítulos
Medium 9788536306643

24. Soluções dos testes da Parte 1

Seirawan, Yasser Grupo A - Artmed PDF

XADREZ VITORIOSO: TÁTICAS

183

24

Soluções dos testes da Parte 1

N

este capítulo, reuni as soluções dos testes apresentados na Parte 1. É provável que não haja nenhuma dúvida na compreensão das respostas. Uma vez que, em todos os capítulos dessa parte, eu forneci várias dicas sobre o que procurar, espero que seu resultado seja bom.

TESTES DO CAPÍTULO 2

TESTE 1. Não! 2.Ce1! é um ataque duplo contra a Dama e a Torre pretas. Em seguida, 2...Dg5 3.Cxg2 Dxg2 ganha a qualidade por um peão (um ponto de vantagem).

TESTE 2. O surpreendente 1.Cxh4! ganha um peão.

TESTE 3. Com o seqüestro clássico de um peão: 1.Cxd4!. Em seguida, 1...Cxd4 permite 2.Bxg4, enquanto 1...Bxe2 2.Cxe2 mantém o peão.

TESTE 4. O atordoante 1.Bg8!, que ameaça a Dama e um xeque-mate em h7, é vitorioso para as brancas.

TESTE 5. 1.Cf5! é o melhor, pois ameaça a Dama preta e abre o caminho da Dama branca para o xeque-mate à casa-h8. (Nesse caso, uma peça descobre um ataque contra uma casa e não contra uma peça ou um peão.)

TESTE 6. A solução elegante é 1.Tc8! Txa7. O peão tem de ser capturado; caso contrário, a8=D força a captura de uma Torre. Em seguida, 2.Rb6+ é um xeque descoberto, que captura a Torre.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536311210

6 - Contexto de trabalho

Siqueira, Mirlene Maria Matias Grupo A - Artmed PDF

6

Contexto de trabalho

Mário César Ferreira

Ana Magnólia Bezerra Mendes

No contexto de intervenção profissional, diagnosticar como os trabalhadores avaliam o seu ambiente de trabalho se constitui em um importante desafio para as abordagens das ciências do trabalho. Neste sentido, captar, tratar e analisar as representações que os indivíduos fazem de seu contexto de trabalho pode ser um diferencial, em certa medida um requisito central, para a adoção de mudanças que visem promover o bem-estar no trabalho, a eficiência e a eficácia dos processos produtivos.

O objetivo deste capítulo consiste em apresentar a Escala de Avaliação do Contexto de Trabalho (EACT), seus fundamentos teóricos e a importância de seu uso como instrumento psicométrico para diagnosticar as condições, a organização e as relações socioprofissionais de trabalho sob a ótica dos próprios trabalhadores (Mendes e Ferreira, 2006).

FUNDAMENTOS TEÓRICOS DA ESCALA

DE AVALIAÇÃO DO CONTEXTO DE TRABALHO

A Escala de Avaliação do Contexto de Trabalho (EACT) apóia-se no conceito de Contexto de Produção de Bens e Serviços (CPBS) e busca, mais precisamente, constituir-se em um instrumento de diagnóstico das partes constitutivas desta noção. Vejamos, de início, aspectos fundamentais deste conceito, pois ele fornece as bases conceituais que deram origem ao processo de construção, validação e aplicação da EACT (Ferreira e Mendes, 2003).

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos