76 capítulos
Medium 9788527727211

9 - Reabilitação Neuropsicológica nas Disfunções Executivas e nos Déficits Atencionais em Adultos

MIOTTO, Eliane Correa Roca PDF

9

Reabilitação

Neuropsicológica nas

Disfunções Executivas e nos Déficits Atencionais em Adultos

Eliane Correa Miotto

JJ

Introdução

O conceito de ‘funções executivas’ (FE) abrange a capacidade de o ser humano planejar, organizar, elaborar objetivos, metas e estratégias eficientes para alcan­

çar esses objetivos, tomar decisões, resolver problemas, monitorar o comporta­ mento, iniciar ou inibir atitudes adequadas a determinado contexto, raciocinar de maneira lógica e abstrata, sustentar, selecionar e alternar a atenção em estí­ mulos específicos (Norman e Shallice, 1986; Miotto et al., 2007, 2012). Prejuí­ zos associados a essas funções são conhecidos como “síndrome disexecutiva” ou “disfunção executiva” (Baddeley e Wilson, 1988). As FE estão diretamente relacionadas com as re­giões pré-frontais e suas principais conexões com outras

­áreas cerebrais. Por isso, o comprometimento dessas á­ reas pode ocasionar uma série de alterações, tanto no plano cognitivo como no comportamental, incluindo pensamento concreto e inflexível e dificuldades quanto a tomada de decisões, planejamento, resolução de problemas, processos atencionais, impulsividade e desinibição, além de redução da autocrítica (Miotto, 2012).

Ver todos os capítulos
Medium 9788527727211

4 - Reabilitação Neuropsicológica no Transtorno Não Verbal de Aprendizagem

MIOTTO, Eliane Correa Roca PDF

4

Reabilitação

Neuropsicológica no

Transtorno Não Verbal de Aprendizagem

Anna Carolina Rufino Navatta

JJ

Breve histórico

Nas últimas décadas, os transtornos de aprendizagem têm sido amplamente estudados do ponto de vista neuropsicológico. Alguns desses estudos buscam descrições das bases neuroanatômicas e funcionais dos quadros, incluindo disfunções neuropsicológicas, contexto ambiental e social, e impactos na esfera comportamental e emocional. Desse modo, têm-se pesquisas acerca dos transtornos da leitura, das habilidades matemáticas, da linguagem e globais da aprendizagem.

Do ponto de vista funcional, os transtornos de aprendizagem podem ser classificados em dois subgrupos: em um deles estariam os com déficits primários na linguagem e nos processos cognitivos e psicológicos atrelados a ela (como processamento auditivo, aquisição de vocabulário, sintaxe, dentre outros), seriam os transtornos verbais. No outro subgrupo estariam os transtornos considerados não verbais, com déficits no processamento v­ isual, espacial e motor, por exemplo (Mamen, 2007). Dentro do grupo envolvendo os transtornos não verbais, um quadro ainda não é descrito em manuais formais da saú­de como o

Ver todos os capítulos
Medium 9788541203548

7 Cuidados ao Paciente após a Contenção Física por Faixas

MARCOLAN, João Fernando Roca PDF

7

Cuidados ao Paciente após a Contenção

Física por Faixas

Marcolan 07.indd 117

29.08.13 15:35:59

118  Técnica Terapêutica da Contenção Física

Após a rea­li­zação da contenção física do paciente, há necessidade de se tomar medidas gerais e específicas, tanto no momento imediato à contenção quanto ao longo do perío­do em que o paciente for mantido contido.

Manter a elevação da cabeça do paciente

Ao longo de todo o processo de segurar o paciente até o desfecho de contê-lo por meio de faixas, bem como na se­quência do atendimento, deve-se atentar para o risco de o paciente vomitar e aspirar parte do vômito. Se durante a fase de contenção física isso ocorrer, é necessário acudir o paciente para que não corra o risco de aspiração.

Após a contenção física por faixas ser instalada, é mecanismo de segurança e prevenção manter o paciente com a cabeça elevada o tempo todo, principalmente quando se encontra sedado.

No caso de o paciente ser contido em maca, é suficiente levantar o encosto de cabeça, e na inexistência do mesmo deve-se colocar travesseiro ou coxim que possa manter a cabeça elevada o suficiente para evitar o risco de aspiração. O mesmo deve ser feito no caso de o paciente ser contido em cama, sendo isso facilitado pela posição de semi-Fowler ou de ângulo menor – oferecida pelo mecanismo da estrutura da cama hospitalar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788541202114

Tabela 23 - Pontos auriculares anteriores

SHI-YING, Jin; WAN-CHENG, Jin; PU, Jin. Roca PDF

Sistema de Microacupuntura  –  137

Tabela 23 – Pontos auriculares anteriores

Tabela 23a – Onze pontos da hélice

Nome do ponto

Código Localização

Indicação

Outro(s) nome(s) do ponto

Método de agulhamento

Na transição do ramo da Soluços, icterícia,

Diafragma,

Agulha filiforme hélice com a espinha discrasias sanguíneas, OAM, ponto de calibre 28,  ascendente desta, doenças digestivas, da neurose, de 0,5 cun zona I da hélice neurose, prurido ponto do

Selecionar o ponto plexo sensível nervoso

Punção rápida,

0,1 cun,

Na hélice,

Diarreia, constipação, Segmento

HX2 girando 180° em anterossuperior ao prolapso retal, fissura inferior  sentido horário; ramo da espinha anal, hemorroidas, do reto punção superficial ascendente, zona II tenesmo retal na camada da hélice subcutânea,

HX3

Na hélice, superior ao

Micção frequente, punção média ponto do reto, zona III urgência, disúria, no pericôndrio, da hélice uretrite, enurese punção profunda na cartilagem

Ver todos os capítulos
Medium 9788541202114

Tabela 1 - Referências anatômicas corporais

SHI-YING, Jin; WAN-CHENG, Jin; PU, Jin. Roca PDF

Referências Anatômicas

Corporais e Unidades de

Medida Relativa (cun)

1

Tabela 1 – Referências anatômicas corporais (continuação)

Região do corpo

Nome da referência anatômica

Localização

Cabeça

Qián fä jì zhèng zhöng

Ponto médio da linha anterior da raiz do cabelo

Hòu fä zhèng zhöng

Ponto médio da linha posterior da raiz do cabelo

É jiáo (Fä jiáo)

Ângulo da linha anterior da raiz do cabelo

Wán gü

Mastoide do osso temporal

Méi jiän (yìn táng)

Ponto médio da linha entre as sobrancelhas

Pupila (mù zhöng)

Centro da pupila

Proeminência laríngea

Processo conhecido como “pomo de Adão”

Processo espinhoso de C7

Superfície corporal sobre a espinha do processo espinhoso da vértebra mais proeminente

Fossa supraesternal

Depressão superior do ângulo esternal

Ponto médio da junção xifoesternal

Local de ligação entre corpo do esterno e apêndice xifoide

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos